seleção de frases #099

"Enforcar-se é se salvar fatalmente de uma queda."
Rafael C. Nemer, cartunista brasileiro.

"A mulher que se preocupa em evidenciar a sua beleza anuncia ela própria que não tem outro maior mérito."
Julie de Lespinasse (1732-1776), escritora francesa.

"O silêncio é um texto fácil de ser lido errado."
A. A. Attanasio (1951-HOJE), escritor estadunidense.

"Se você encontrar um caminho sem obstáculos, ele provavelmente não leva a lugar nenhum."
Frank A. Clark (1911-1991), escritor estadunidense.

seleção de tiras #005

Clique na tirinha para acessar a página do cartunista.

ativismo animal,ativismo social,ativismo religioso,politicamente correto,mal humorado desenho
noite do stand-up tragedy - ivo viu a uva
pomba desenho,pombas voando,pombas urbanas,fezes de pombo,pombo cagando na cabeça
vingança - banda non grata
poliglota,proficiência em inglês,conversação em espanhol,sociabilidade e socialização,solidão
poliglota - plínio leo sene
rumo à felicidade,combate a depressão,amizade é tudo,amizade ajuda,ter amigos,depressão tratamentos alternativos
malvados da depressão - andre dahmer
hang gliding,hang glider,asa delta desenho,voo de asa delta,peaceful day,voando nas nuvens
peace - the gentleman's armchair

seleção de frases #098

"A coisa mais valiosa que você pode cometer é um erro. Você não aprende nada sendo perfeito."
- Adam Osborne (1939-2003), editor de software tailandês.

"Para que faças brilhar tua estrela, não precisas apagar a minha."
- Helen Keller (1880-1968), escritora estadunidense.

"Todos vivemos sob o mesmo céu, mas nem todos vêem o mesmo horizonte."
- Konrad Adenauer (1876-1967), político alemão.

"Para quem não gosta de si, tempo livre é prisão."
- Fabrício Carpinejar (1972-HOJE), poeta brasileiro.

sujeito [diogo silveira]



Sou sujeito sem muitos predicados

Meus objetos são indiretos
Às vezes ocultos, outras indeterminados
Contudo, sou substantivo.

Quando quero fazer-me entender
Minhas palavras ficam entre vírgulas
Aposto do que quero dizer
Explico.

Nunca tive vocação para vocativos
Nem sei o que quero ser
Acho tudo muito intransitivo
Pra responder tantos porquês.

Mesmo que pareça pecado
Tenho dúvidas do sagrado
Minhas orações são insubordinadas
Sem lei e fé denominadas.

Sou homônimo pro nome
Porém único, egoísta com remorso
Pronome possessivo
O seu meu é teu nosso.

Num gesto digo muito
Tal instinto animal
Eu soletro sem palavras
No meu jeito não verbal.

Meu artigo é indefinido
Nunca lido num jornal
Que me perdoem os instruídos (dependo do sentido)
Ò com crase não faz mal.

Na grafia do meu fonema
Pronuncio meus dilemas
Escrevo um conto de criança
Pro adulto ter lembrança.

Sou predicado sem sujeita
E não me sujeito a qualquer coisa
Se quiseres uma expressão
Atravesso o diálogo sem travessão.
- Ilustração: Anyone’s Ghost (2013), de Grace Easton
- Poema: Sujeito (2007), de Diogo Silveira
- Diogo Silveira, publicitário brasileiro.